O Tribunal de Contas do Estado do Mato Grosso do Sul

Aposta em BI e Inteligência Artificial para otimizar processos

Desafio

O Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul (TCE-MS) vai bem além do Business Intelligence e da Busca Textual e passa a usar abordagens analíticas e de inteligência artificial para ampliar suas capacidades nas atividades de fiscalização, controle e julgamento dos atos administrativos de seus jurisdicionados, quanto ao uso e gestão de seus recursos.

Solução

Agora, as Equipes Temáticas que cuidam do controle de assuntos como Saúde, Contábil, Educação e Obras, dentre outros, recebem os processos automaticamente classificados para cada time. Além disso, os processos são priorizados previamente, indicando aqueles que apresentam maior risco de erro, ou fraude, melhorando o resultado de suas avaliações e ampliando muito a produtividade.

A identificação dos processos de maior risco possibilita aos Auditores focar seu tempo e conhecimento onde é mais relevante, ampliando sua capacidade para responder aos anseios sociais e a fortalecer a democracia no Estado.

Os serviços analíticos são utilizados em diversas áreas e atividades do TCE-MS, tais como auditoria em obras, análise de vínculos de trabalho, otimização de processos e pessoal, Gestão de recursos da saúde, dentre outros. O serviço cobre o todo o ciclo de ciências de dados e ferramental necessário, desde a captura, transformação e integração de dados, até a sua exploração, mineração e modelagem, contando ainda, com a aplicação de inteligência artificial.

A combinação dessas capacidades possibilita a mineração e a compreensão de correlações entre as informações, o mapeamento de riscos e fraudes, e a criação de modelos preditivos para antecipação de problemas e identificação de pontos de melhoria, que não seriam detectados de outra forma. 

Em uma das abordagens, por exemplo, havia um volume de editais candidatos à auditoria muito maior do que seria passível de análise pelos auditores, superando 40 mil documentos aguardando análise. Não sendo possível priorizar, processos propensos a erros de execução, ou até fraudulentos, podiam passar despercebidos.

BI e Inteligência Artificial no mercado público

Estabelecimento de redes de relacionamentos entre editais, contratos e participantes.

Triagem dos editais e contratos a partir da automação da checagem de critérios de negócio.

Distribuição automática de processos para cada Equipe Temática, conforme o conteúdo dos documentos.

Fornecimento de serviços de ciências de dados, integrando todo o ciclo de vida analítico, desde a captação de dados à criação de modelos preditivos. 

Uso de ferramental referência mundial em analitycs e inteligência artificial, incluindo SAS Fraud Framework, para avaliação de riscos, fraudes e ampliação de produtividade.