Artigo

Software Defined Everything: saiba o que é SDE e o que pode fazer por sua empresa

O mercado de infraestrutura de TI está se modernizando ao acompanhar a mudança de paradigma da computação, que até a década passada era limitada pelo hardware. Os provedores de soluções de infraestrutura estão se deparando com uma verdadeira crise de identidade: os produtores de ontem são os consumidores de hoje.

Com a virtualização, abstrair o hardware via software se tornou uma realidade. A evolução dessa realidade é o termo conhecido tecnicamente como Software Defined Everything (SDE), que, em tradução livre, significa que “tudo é definido pelo software”. A estrutura de rede, nesse novo formato, conhecida como SDN, será capaz de conectar itens que, pouco a pouco, estão se tornando de uso diário em nossas vidas: carros inteligentes, apps móveis como Uber e Airbnb, drones conectados via internet, câmeras GoPro, entre outros. Para mais informações sobre o Software Defines Newtworking e seus benefícios, clique aqui.

Perceba que todos esses recursos operam com uma infraestrutura transparente ao usuário. Os servidores, enlaces de rede, roteadores e tudo o que é necessário para que esses negócios digitais funcionem, aparentemente, não existe. É a analogia do SDE em sua máxima. Como veremos a seguir, o SDE representa a abertura de uma ampla gama de oportunidades de negócios. Selecionamos duas delas que já estão se desenvolvendo e podem ser uma ótima oportunidade de mercado, inclusive para sua empresa.

Internet das Coisas (ou IoT)

Um termo muito utilizado nos últimos cinco anos, a Internet das Coisas (IoT) representa a capacidade de muitos dispositivos já presentes em nossas vidas de se comunicarem via internet. A geladeira que informa o momento de comprar iogurte, o supermercado que interage com a lista de compras que o consumidor traz no smartphone, entre várias outras aplicações. Para manter tudo isso operacional, é indispensável uma estrutura de rede robusta, com escalabilidade para agregar cada vez mais dispositivos sem prejudicar seu funcionamento.
Num exemplo recente, a Coca Cola distribuiu 1 milhão de máquinas de refrigerante (daquelas que misturam a água e o xarope diretamente no estabelecimento) conectadas à sua rede. Sem uma estrutura de rede flexível, capaz de absorver o aumento absurdo de demanda por recursos, seria impossível fazer o projeto funcionar.

Aplicações de Escala Global

Sabe como o Google e o Facebook fazem para se manter online, 24 horas por dia, todos os dias do ano, recebendo cada vez mais acessos e demandando cada vez mais recursos? A resposta, você já deve imaginar, é SDE. O Google construiu toda sua infraestrutura de rede em switches, protocolos de roteamento e aplicações de controle próprias.

O recado da gigante de buscas hoje está sendo entendido pelos grandes players no mercado: uma infraestrutura centrada no hardware inviabiliza uma operação de escala mundial, cuja demanda aumenta absurdamente a cada dia. Não é novidade o anúncio em meados de 2015 que o Google pretende se tornar um provedor de acesso à internet. Agora você sabe o motivo.

Outro gigante que vem investindo em SDE é o Facebook. Ao se tornar um dos principais apoiadores do Open Compute Project, Zuckerberg e companhia estão trabalhando para aumentar a eficiência energética nas operações. E desenvolvendo um novo padrão de switches via software, capazes de otimizar o funcionamento da aplicação em todo o mundo. Isso significa menor custo ambiental à humanidade e escalabilidade capazes de tornar o Facebook acessível aos muitos dispositivos de IoT que estão surgindo rapidamente.

E a sua empresa, como pode fazer uso dessa tendência no mercado de computação? Compartilhe conosco sua experiência no campo de comentários abaixo.

[hs_action id=”2170″]

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Conheça nossos parceiros