Artigo

SDN (Software Defined Network) realidade do mundo virtual?

A SDN propõe um arquitetura dinâmica, gerenciável, adaptável e com um custo-benefício adequado, tornando-se a plataforma ideal para a alta largura de banda e a natureza dinâmica das aplicações de hoje.

O principal motivador para substituir a arquitetura de rede convencional para uma Rede Definida por Software, é o seu desenho alinhado com as principais tendências de mercado:

  • Nuvem Híbrida: Sistemas distribuídos geograficamente através de nuvens públicas e privadas demandam um gerenciamento de tráfego extremamente flexível e acesso à largura de banda sob demanda.
  • Consumerização de TI: A tendência de BYOD (Bring Your Own Device) requer redes, que sejam flexíveis e seguros.
  • Big data: A era do zetabyte significa mais largura de banda, conectividade e acesso aos sistemas do Data Center.

Ainda é possível atribuir como vantagem da arquitetura SDN, a dificuldade das atuais redes convencionais em crescer na escala e na dinâmica que a TI precisa, a complexidade na implementação de políticas e readapatação do desenho e a dependência de fabricantes.

De acordo com o Open Networking Foundation (ONF), na arquitetura SDN, os planos de controle e de dados são dissociados. Em um ponto central ficam a inteligência e a monitoração do estado da rede, ao mesmo tempo, a infraestrutura básica torna-se abstrata para as aplicações. Como resultado, o departamento de TI podem construir redes altamente escaláveis ??e flexíveis que facilmente se adaptam às mudanças de necessidades de negócios, por meio de recursos programáveis que irão automatizar e controlar de rede.

Figura 1. Estrutura de uma Rede definida por Software.

sdn

Um dos elementos chaves da arquitetura de SDN é o protocolo OpenFlow, padronizado pela ONF. O OpenFlow é a primeira interface padronizada projetada especificamente para SDN, proporcionando alto desempenho, controle de tráfego granular através de dispositivos de rede de diferentes fornecedores. O protocolo também proporciona a melhoria de automação e gerenciamento, usando APIs comuns para abstrair os detalhes de infraestrutura básica de rede dos sistemas de orquestração e aplicações de aprovisionamento. Com esses recursos é possível melhorar a experiência do usuário final, com aplicações que podem explorar as informações das condições da rede para se adaptá-la perfeitamente ao comportamento e às necessidades do usuário.

A arquitetura SDN e o protocolo Openflow também influenciam diretamente na confiabilidade e segurança da rede, uma vez que a gestão centralizada e automatizada de dispositivos de rede permitem a aplicação de políticas uniforme reduzindo possíveis erros de configuração.

O instituto de pesquisa IDC estima que o mercado de SDN movimente mundialmente cerca de US$3,7 bilhões em 2016, sendo 58% desse investimento relacionado à infraestrutura e controle da rede de dados. É, portanto, uma tendência e irá proporcionar os benefícios aqui já citados.

A Extreme Networks, logo após a aquisição da Enterasys Networks, anunciou na Conferência Interop 2014 uma linha de equipamentos preparados para a implementação de Redes Definida por Software. A nova release do seu software de gerencia NetSight em conjunto com o software de analise de aplicações (Purview) conseguem definir em software e agentes OpenFlow o gerenciamento do fluxo de dados da rede, demandando, portanto, redes de acesso mais programáveis via APIs.

Para maiores informações, acesse também:

Ronaldo Melo
Especialista em Redes

Conheça nossos parceiros