Artigo

O Futuro da Rede Wi-Fi

Não existe uma maneira de saber ao certo como será o futuro, mas sabemos que os dispositivos estão cada vez mais cheios de funcionalidades e os seus aplicativos consomem todo recurso oferecido com um apetite sem fim, levando ao maior consumo de largura de banda dia após dia. De acordo com a “Wi-Fi Alliance” mais de 70% de todas as formas de tráfego sem fio atravessa dispositivos Wi-Fi como meio de acesso.

Esse movimento prevê dois conceitos muito difundidos hoje: Consumerização e da Ubiquidade.  Consumerização é o impacto nas empresas de novas tecnologias e modelos que se originam e se desenvolvem no espaço do consumidor e são levados pra dentro das organizações. Ubiquidade significa estar presente ao mesmo tempo em todos os lugares. É um termo utilizado para transmitir a ideia de onipresença.

Os usuários vão querer usar dispositivos móveis inteligentes, corporativos ou próprios, de maneira simples como se estivessem em casa. Eles vão usar esses dispositivos não apenas na empresa, mas em diversos locais, como cafés, escolas, hotéis, hospitais, estádios.

A ideia do BYOD (Bring Your Own Device, tradução literal seria Traga o Seu Próprio Dispositivo) foi inicialmente rejeitada devido a preocupações de segurança. Mas com uma aceitação cada vez maior das empresas em incorporar em suas políticas o conceito de BYOD (algumas analises chegam a mostrar que 95% dos entrevistados que apoiam ou consideram implementar tais políticas), a indústria de TI tem disponibilizado e implementado funcionalidades como: identificação dos dispositivos e dos usuários, gerenciamento e customização dos aplicativos para os diferentes dispositivos, etc.

BYOD

No entanto, um desafio maior ainda está pela frente que é o da Internet das Coisas (do inglês, Internet of Things ou IoT). Neste caso, estamos falando de mais componentes (coisas) conectados a rede do que simplesmente estações de trabalhos, laptops ou tablets.  Hoje já encontramos conectados às redes: impressoras, telefones, câmeras de circuito fechado, antenas e dispositivos RFIDs. Mas em se tratando de Internet das Coisas estamos falando de um universo muito além, está previsto a incorporação de produtos portáteis como  termostatos, TVs, relógios, projetores, equipamentos médicos, sensores, carros, equipamentos de segurança, entre outros.

Internet das Coisas

Internet das Coisas

O denominador comum para a maioria destes dispositivos será o uso de Wi-Fi para a conectividade e a proliferação irá ocorrer em todos os lugares. Essas novas tendências, BYOD e IoT, irão impactar significativamente nas redes existentes chegando a projeções de dezenas de bilhões para centenas de bilhões de dispositivos nos próximos 5 a 10 anos.

Desta forma as atuais metodologias utilizadas por inúmeros fabricantes para o planejamento e implementação do Wi-Fi muda drasticamente, técnicas com base na taxa de transmissão e cobertura será uma forma antiquada que irá ser perdida com o tempo.

Embora não seja possível prever o futuro, podemos considerar a partir das tendências aqui apresentadas a necessidade de soluções capazes de fornecer suporte a locais com alta densidade de pessoas, dispositivos e aplicações, fornecendo conectividade robusta com menos Access Points, e é exatamente esse o propósito da solução denominada IdentiFi Wireless da Extreme Networks. Para maiores informações acesse aqui.

Extreme Identifi Wireless

Ronaldo Melo
Especialista em Rede de Dados

Conheça nossos parceiros