Artigo

Mobilidade urbana: como as tecnologias estão modificando as formas de transporte

Com um número cada vez maior de pessoas tendo acesso a smartphones e redes 3G, era questão de tempo para que aplicativos como Waze, 99Taxis e Uber logo se tornassem alguns dos mais baixados e usados no Brasil. Só que além de trazerem benefícios diretos para os usuários, esses aplicativos também têm impactado a maneira como a população encara os transportes públicos das grandes cidades, gerando mudanças significativas na mobilidade urbana das capitais.

Mas como isso tem acontecido? Até que ponto um programa de celular pode interferir no dia a dia de milhares de pessoas? É o que vamos abordar a seguir. Confira!

Waze e os engarrafamentos

Criado em 2008, o Waze — um aplicativo que mostra informações sobre o trânsito diretamente no mapa e em tempo real — é considerado hoje um dos apps mais importantes para quem precisa do carro para se locomover pelas cidades. Isso porque, por causa da sua capacidade de mostrar os pontos com maior lentidão no trânsito e encontrar rotas alternativas, o Waze tem mudado a maneira como as pessoas escolhem seus caminhos — principalmente depois que sua tecnologia foi inserida dentro do Google Maps —, os horários de trabalho e até a forma de se locomover nas capitais.

Apps de compartilhamento de bikes

Com a constatação de que muitas vezes o carro não é a ferramenta mais rápida para levar uma pessoa do ponto A ao ponto B, o uso das bicicletas como principal meio de transporte tem se popularizado dentro das grandes cidades. E junto a isso veio a utilização constante de aplicativos de compartilhamento de bikes, capazes de mostrar onde é possível encontrar bicicletas liberadas para serem usadas e onde deixá-las após o trajeto.

Um movimento que tem não apenas impactado na mobilidade urbana, mas também iniciado uma nova cultura para o uso de bicicletas em trabalhos que antes eram delegados apenas a motoboys e motoristas particulares.

Um novo modelo de entregas

Por conseguirem fugir um pouco dos gigantescos engarrafamentos dos horários de pico e ainda passarem uma imagem ecofriendly, as bikes têm sido adotadas cada vez mais por serviços de entregas, que agora também chegaram aos aplicativos com projetos como o Dizzy e o Shippify, onde é possível contratar ciclistas “freelancers” para realizar entregas.

Um dos pontos interessantes desse tipo de aplicativo é que, por tirar um veículo de maior impacto do trânsito, como a moto, além de reduzir a chances de acidentes nas ruas, ele também ajuda a mudar a visão de que as bicicletas não podem ser usadas como meio de transporte no dia a dia das grandes cidades.

Aplicativos de táxi

Outro grande impacto que podemos perceber na mobilidade urbana veio por meio dos aplicativos de táxi, como o Easy Taxi e Way. Por estabelecerem uma conexão rápida e direta entre o motorista e o cliente, esses softwares têm reduzido o tempo de espera por uma corrida, tanto em casa quanto na rua — uma vez que não é mais necessário lugar para um ponto ou uma cooperativa — e criado uma maior rotatividade dos trabalhos, já que é possível encontrar novas chamadas enquanto o taxista ainda está em um trajeto.

Para finalizar, algo também muito interessante sobre tudo isso é que, com o aumento do uso de aplicativos relacionados à mobilidade urbana, não é de se admirar que muitos governos já estejam usando esses dados para transformar cidades convencionais em cidades inteligentes. Algo que traz benefícios para todos e que podemos esperar encontrar em mais e mais localidades nos próximos anos.

Gostou do nosso post? Gostaria de saber um pouco mais sobre essas tecnologias que estão modificando o nosso dia a dia nas cidades? Então deixe a sua dúvida aqui mesmo na caixa de comentários!

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Conheça nossos parceiros