Artigo

Habilidades importantes que um profissional de Data Analytics tem que ter

O uso crescente de sistemas, ferramentas e processos de obtenção de informação gerencial baseado na análise de dados de diversas fontes só vem crescendo, em grande parte pela necessidade das empresas de entenderem melhor seu público e de anteciparem tendências do macroambiente.

Embora todo este processo esteja intimamente relacionado com a tecnologia – coletivamente acoplado na imagem do Big Data – existe uma figura de grande valor neste processo, o profissional que é responsável por não só programar e desenvolver bancos de dados, mas de interpretar os diversos resultados das análises, enxergando padrões e tendências que são transformados em informações. Estamos falando do cientista de dados.

O nome do cargo ganhou mais projeção junto ao público graças a empresas como Google e Facebook, que fazem amplo uso deste profissional, tornando-se em tempos recentes um tipo de especialista que ganha mais espaço na mesma medida em que as empresas precisam encontrar respostas mais rápidas e assertivas para perguntas cada vez mais complexas.

Mesmo com o crescente prestígio, o cientista de dados ainda é desconhecido por muitos gestores, o que torna difícil saber o que esperar – e avaliar – deste profissional, por isso trouxemos uma lista com as qualificações que não podem faltar neste especialista, segundo pesquisa do LinkedIn:

  • Comunicação: é imprescindível que o profissional saiba lidar com números, mas não somente, pois seu trabalho tem impacto direto na operação de várias áreas; comunicação e capacidade de relacionamento interpessoal, portanto, não pode faltar. 
  • Gestão de dados: obviamente, este profissional deve ter amplo domínio sobre gestão e tratamento de dados estruturados ou não. Fluência em sistema de gestão de dados é essencial. 
  • Matemática: a necessidade de cálculos estatísticos é uma realidade quase diária, portanto o cientista de dados deve ter fluência em matemática. Esta é, inclusive, uma das razões pelas quais profissionais formados na área – sobretudo em matemática aplicada – são bem recebidos. Isso inclui a capacidade de trabalhar com modelagem de dados. 
  • Gestão de projetos: como muitos dos trabalhos estão relacionados a projetos ou finalidades específicas de cada área, o cientista deve ter habilidade gerencial para prazos e entregas, tanto dele mesmo quanto de eventuais membros sob sua supervisão. 
  • Design de experimentos: muitas das descobertas desta área estão relacionados aos testes de mercado, por isso é importante que ele tenha capacidade de desenhar experimentos para avaliar cenários e obter informações sobre o melhor caminho a ser seguido pela empresa. 
  • Desenvolvimento de negócios: embora não esteja entre as habilidades essenciais, é recomendável que este especialista conheça um pouco do negócio e do mercado da empresa, para que tenha um viés prático na execução de seu trabalho.

Além destas, habilidades como conhecimentos em programação e algoritmos, cloud computing e governança corporativa são apreciadas por algumas empresas, o que pode tornar este profissional ainda mais robusto.

New Call-to-action

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Conheça nossos parceiros