Artigo

Entenda como a virtualização se difere da computação na nuvem

Na era da ‘nuvemrização’, virtualização em nuvem e cloud computing começam a se confundir, mesmo diante dos olhos de profissionais da área de TI. Hoje vamos esmiuçar algumas diferenciações e mostrar o link entre os dois termos, a fim de possibilitar a você, profissional da TI, subsidiar as melhores decisões sobre como alinhar a tecnologia disponível no mercado aos objetivos estratégicos da sua empresa!

Virtualização em nuvem precede a computação em nuvem

Se hoje podemos disponibilizar os dados da empresa para acesso a partir de qualquer ponto do planeta (computação em nuvem), certamente é porque a tecnologia possibilitou, em um estágio anterior, a criação de softwares usados para criar múltiplas infraestruturas virtuais a partir de uma camada física (como os servidores virtualizados, essenciais para o Cloud). Estas inovações (virtualizações), em um segundo momento, permitiram aos especialistas em TI desenvolver, por exemplo, a alocação de serviços de e-mail, backups e armazenamento de dados (serviços de nuvem) por meio de virtual servers. Perceba que a computação em nuvem, portanto, depende da virtualização.

Virtualização é produto; Cloud, conceito

A virtualização em nuvem difere do Cloud Computing essencialmente porque o primeiro diz respeito a um software que manipula o hardware (caso dos softwares de hypervisors, como Vmware ESX, por exemplo); já o segundo, é o resultado dessa manipulação. Virtualização é um produto e a partir dele foi desenvolvido o conceito de computação em nuvem. A grande confusão feita entre as terminologias, entretanto, se dá porque a nuvem, em muitos casos, acrescenta, em sua estrutura, produtos virtualizados para facilitar o oferecimento de serviços.

Exemplo da ligação entre computação em nuvem e virtualização

Só para deixar mais claro, um exemplo prático. Imagine que a sua empresa precise integrar seu sistema de compras e monitoramento do estoque para alguns de seus stakeholders (como fornecedores, por exemplo), afim de que eles tenham também acesso aos dados de provisão de matérias-primas estocadas e a partir de smartphones ou tablets. O objetivo aqui é dar dinamismo ao fluxo de processos de abastecimento (na mais perfeita concepção de Supply Chain Management). Para que essa intenção estratégica se materialize, será necessário recorrer a uma solução de virtualização de aplicativos, a qual será a base sólida para que os dados do sistema mencionado sejam acessados de qualquer lugar. Compreendeu a precedência da virtualização sobre a computação em nuvem?

Importância da virtualização em nuvem para dar vantagem competitiva a uma empresa

Segurança: por meio de máquinas virtuais, é possível optar pelo ambiente mais seguro para executar cada serviço, trabalhando com requerimentos de segurança, sistemas operacionais e ferramentas diferentes em cada tipo de serviço. Além disso, a separação completa entre as máquinas faz com que, em caso de vulnerabilidades pontuais, essas ameaças não prejudiquem toda a infraestrutura da organização.

Maximização de desempenho: a virtualização em nuvem expande exponencialmente o desempenho de cada máquina física. Com o auxílio de um software, diversas máquinas virtuais podem ser criadas sobre uma camada de emulação, o que significa ter muito mais infraestrutura com menos maquinário físico.

Redução de custos: a área de TI recebe hoje uma imensa pressão para apresentar resultados que impactem a organização. Ao mesmo tempo, a redução de custos é sempre uma pauta inevitável nas reuniões estratégicas. A virtualização é uma saída que consegue unir as duas questões (aparentemente inconciliáveis), já que toda a maximização de desempenho citada acima é feita sem a necessidade de investir imensos valores em servidores de alta capacidade, redimensionamento da estrutura de rede, hardwares de última geração, etc. Isso sem falar na economia direta com energia elétrica, espaço e refrigeração (fruto dos servidores virtuais, por exemplo).

Disponibilidade e confiabilidade: mais uma valorosa virtude da virtualização em nuvem, já que as falhas na execução de um software não prejudicam as demais aplicações.

De acordo com uma pesquisa da Symantec, 76% das empresas mundiais estão planejando ou implementando efetivamente soluções virtualizadas. A propósito, sua empresa está dentro deste percentual?

Caso a resposta seja negativa, deixe-nos uma mensagem abaixo e iremos auxiliá-lo a diagnosticar qual a melhor solução para seu contexto corporativo, a fim de potencializar a importância do departamento de TI para o Núcleo Estratégico de sua empresa!

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Conheça nossos parceiros