Artigo

Entenda a diferença entre Business Intelligence e Data Analytics

Muitos executivos já ouviram os termos “Business Intelligente” e “Data Analytics”, mais do que isso, é bem provável que ouviram o que são ótimas práticas e que ajudam na gestão, na performance e até na redução de custos. Como são apresentados frequentemente em conjunto, muitos administradores acreditam que são sinônimos ou variações da mesma prática, porém isso não é verdade. Neste artigo, veremos as definições de cada prática e como elas podem ajudar sua empresa separadamente ou em conjunto, para um efeito ainda melhor.

Primeiramente, o Data Analytics (DA): este conceito está atrelado, como sugere o nome, à análise de dados. Mais precisamente, é a prática de coletar dados sem tratamento de fontes relevantes para os temas de interesse da empresa e analisá-los de acordo com os objetivos, que pode ir desde realizar predições ou de tornar mais claro o panorama de atuação da empresa, até avaliar novas possibilidades de atuação junto ao cliente e descobrir novas tendências de mercado. O DA permite atuações tão variadas porque não é uma tecnologia ou um processo específico de uma área, mas sim uma prática de obtenção de informação de qualidade para fins gerenciais ou operacionais, por isso é amplamente utilizável por praticamente qualquer departamento ou empresa.

Já o Business Intelligence (BI) é a prática de coletar, organizar, analisar e distribuir informações com o propósito de oferecer suporte à gestão empresarial. As empresas usam o BI como forma de prepararem-se melhor para enfrentar desafios de mercado e de gestão interna, adquirindo informações relevantes para tomada de decisão nos mais diversos contextos. Diferentemente do DA, o BI é uma prática mais voltada para a gestão – portanto mais especializada do que o DA – e mais indicada para tomada de decisão, fazendo com que seja uma prática tipicamente voltada para diretoria ou gerência. Um outro ponto de diferenciação é que o BI depende de práticas de coleta e análise de dados como o DA para extrair as informações que serão posteriormente utilizadas como base para decisão.

Como é possível ver, estas técnicas diferem tanto em finalidade quanto em natureza, embora tenham similaridades em algumas aplicações, além de poder haver sinergia entre elas. Para a empresa, uma boa forma de saber qual deve ser utilizada em cada contexto é analisar o objetivo final. Se a busca é por uma informação (quantitativa ou qualitativa) específica ou pela verificação de algum tipo de dado ou de hipótese, então o DA provavelmente será a melhor saída. Por outro lado, se o objetivo é obtenção de informação para decisão gerencial ou um apontamento direcionado à ação, então o BI é a solução. Notadamente, as necessidades das empresas mudam com o tempo, por isso é fundamental estar preparado para usar ambos – além da derivação do DA, o Big Data – para os resultados ideias em cada caso, trazendo assim as informações certas para o melhor desempenho da empresa.

New Call-to-action

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Conheça nossos parceiros