Artigo

Como uma empresa pode se preparar para a transformação digital?

Adaptar-se a novas tecnologias sempre foi crucial para que uma empresa não caia no ostracismo. Temos o exemplo da Blockbuster, uma marca que era gigante, mas que com a inadaptação à transformação digital perdeu espaço para o Netflix e outros serviços. Porém, ela não foi a única.

Uma pesquisa feita por Richard Foster aponta que somente 13% das organizações que apareciam no ranking Standard & Poors em 1958 continuam nele em 2011. E as primeiras colocadas têm um ponto em comum: elas nasceram ou se transformaram em digitais. Então, a questão que abordaremos nesse texto é: como começar essa mudança?

Dê o primeiro passo rumo à transformação digital

O começo de tudo é como uma semente. Depois de pesquisar e ler bastante sobre o tema, casos de sucesso etc., você precisará semear a ideia da digitalização para os seus colegas de trabalho que, aos poucos, começarão a entender e gostar cada vez mais do assunto.

Ao longo do tempo, dúvidas e discussões podem surgir causando uma vontade de levar esse lado tecnológico para o dia a dia da empresa, e, nesse momento, é preciso ter o apoio dos líderes da companhia e da alta administração. Também é importante, portanto, que eles estejam minimamente envolvidos nessas conversas.

Tenha um setor especializado

Dado o primeiro passo, não adianta ficar apenas no plano das ideias. É importante sugerir que a transição seja gradativa, mudando o pensamento operacional para o digital. Isso porque as especializações de maior demanda nos últimos anos foram de desenvolvedores, gerentes de projeto, analistas de segurança etc.

Para que haja uma boa transformação digital, apenas manter a empresa funcionando não é o suficiente. É preciso criar um setor especializado que seja completamente separado do operacional (embora com contato) e com profissionais experts no tema, como cientistas de dados, analistas de inovação e negócios digitais e Chief Digital Officers.

Seja corajoso e ousado!

De acordo com a IDC, 90% dos projetos de TI até 2019 terão base na experimentação, qualidade e velocidade. Ou seja, ao contrário do panorama atual, é preciso pensar de uma maneira mais ousada para se adaptar à transformação digital. Nesse novo cenário, o medo das mudanças rápidas deve ser superado.

Afinal, o estudo aponta que as instituições que não conseguirem deixar o temor de lado não vão criar os processos necessários para a conclusão dos projetos com o timing ideal. O foco desses trabalhos deve ser baseado nessa mudança, na adaptação contínua para as novas tecnologias e, claro, tendo bastante atenção aos feedbacks recebidos.

Seja estratégico

Talvez esse tópico pudesse vir antes da coragem e ousadia, mas ambos podem atuar em conjunto. É necessário focar na rapidez da transformação digital, mas sem esquecer de calcular o impacto que o produto final terá em todo o percurso do trabalho. Sem uma boa estratégia que enxergue o futuro, gastos fora de controle podem continuar a acontecer.

Sempre pense em uma boa arquitetura estratégica que tenha uma abordagem competitiva e coordenada para garantir que as mudanças sejam feitas com sucesso. Lembre-se do apoio da liderança e dos profissionais capacitados para auxiliar nesse quesito, evitando erros de gestão.

Entendeu como a transformação digital não precisa ser tratada como um monstro, sendo necessário apenas um bom planejamento? Caso tenha alguma outra consideração, dica ou dúvida acerca do tema, comente no post e enriqueça a nossa discussão!

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Conheça nossos parceiros