Artigo

Como o governo pode se beneficiar do Big Data?

Lidar com grandes volumes de dados não é privilégio de grandes empresas. Aliás, o poder público tipicamente tem uma demanda gigante de informações a serem analisadas, mas nem sempre faz uso do Big Data, podendo contar com dados atualizados e disponíveis a qualquer momento. Tal fato tem, infelizmente, reflexos diretos nas nossas cidades, já que ter informações detalhadas sobre vários aspectos da sociedade poderia se refletir em uma gestão pública muito mais eficiente.

Você pode estar se perguntando: “Mas como o governo pode se beneficiar do Big Data?” O fato é que há muito a explorar neste sentido, mas vamos aqui listar as principais vantagens que os nossos governantes poderiam obter do Big Data, bem como seus possíveis desdobramentos a favor de uma sociedade melhor para todos:

Otimizando os investimentos governamentais com o Big Data

Atualmente, muitos dos investimentos feitos pelo governo se baseiam em análises superficiais, como a comparação de preços, ignorando todo um cenário de mercado que poderia oferecer muitos outros parâmetros para a tomada de decisão. A escolha de fornecedores é algo complexo e que deveria ser feita da maneira mais criteriosa possível, prevendo situações em médio e longo prazo, além de ser capaz de reagir rapidamente a situações inesperadas, como falência de empresas e demandas emergenciais.

O Big Data poderia nutrir o governo de informações estratégicas para que ações fossem tomadas antes que grandes problemas sociais surgissem, tornando os investimentos públicos muito mais eficientes, inclusive reduzindo os gastos e melhorando a qualidade dos serviços prestados à população.

Big Data é o primeiro passo para as Cidades Inteligentes

Muitas vezes, percebemos áreas onde o governo parece não atuar, mas que na verdade fazem apenas parte da incapacidade de controle de tudo que acontece no dia a dia. Mas o conceito de Cidades Inteligentes pode mudar este cenário — já pensou em uma cidade onde a tecnologia e sistemas de monitoramento dão conta de tudo que o governo precisa fazer para sua manutenção e bom funcionamento?

As Cidades Inteligentes ainda são uma realidade distante para a maioria, mas é para ela que caminhamos a passos largos. E a única maneira de viabilizar tal controle do governo das suas atribuições e das necessidades da população é através do Big Data.

Tornando o planejamento e a execução das ações governamentais mais efetivos e econômicos

Dentro de uma estrutura governamental, a burocracia faz com que muitos processos vitais para a melhoria das condições de vida das pessoas e o funcionamento da sociedade como um todo sofram com a morosidade e a ineficácia de suas ações. A análise e disponibilidade de dados massivos poderia trazer a agilidade e a precisão que os governos não têm hoje em dia, trazendo reflexos positivos em todos os aspectos da administração pública.

E não apenas o planejamento de ações em médio e longo prazo podem ser beneficiados pelo Big Data, mas pelo contrário; com a disponibilidade em tempo real das informações do que acontece na sociedade nas mãos dos gestores públicos, medidas emergenciais poderiam ser tomadas de maneira precisa e pontual, não dependendo de meses — e até anos — de diferença entre a iniciativa até a concretização de leis e movimentação da máquina pública.

Big Data no governo: esperar até quando?

É fato que, nos moldes atuais da configuração do governo que temos, nem tudo que o Big Data oferece poderia ser colocado em prática. Mas depende de nós, através da escolha dos nossos governantes, viabilizar a implementação de práticas cada vez mais próximas do que consideramos ideal, ao invés de sonhar com o dia em que, magicamente, alguém vai iniciar a análise e modelagem de grandes volumes de dados em prol de nossa sociedade.

A boa notícia é que, aos poucos, vemos práticas de data analytics serem cada vez mais adotadas pelos governos, o que alimenta as nossas esperanças de ver, um dia, o governo utilizando informações em todo o seu potencial para o bem da sociedade. À medida em que todo o mercado corporativo vai adotando o Big Data em suas atividades, o governo naturalmente vai seguindo pelo mesmo caminho, em seu próprio ritmo.

Então, nos resta aguardar, e fazer a nossa parte. Afinal de contas, o perfil dos governantes somos nós que traçamos. Talvez, essa seja a deixa para a sociedade usar o Big Data para melhor escolher seus representantes no governo — e talvez esse seja o maior benefício do Big Data para o governo, ainda que através das nossas mãos. Você ainda algum questionamento ou ou dúvida? Então deixe o seu cometário e venha participar da conversa.

 [hs_action id=”2170″]

 

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Conheça nossos parceiros