Artigo

Como funciona o processo de migração para SAP HANA?

SAP HANA e S/4 HANA: as mais recentes soluções da SAP para as empresas que querem estar na vanguarda de seus mercados e, para isso, querem usar todo o potencial do Big Data, da computação em nuvem e da mobilidade para tomar decisões com o máximo de segurança.

O HANA vem como a última palavra em processamento in-memory no banco de dados, conferindo uma capacidade de análise de dados com velocidade incomparável, mesmo para grandes volumes, enquanto o S/4 usa todo este poder como base dos módulos da quarta versão do Business Suite da SAP, fazendo desta uma solução ainda mais arrojada e abrangente que suas prestigiadas versões anteriores.

Estas qualidades já estão fazendo com que empresas de todos os segmentos – desde artes e entretenimento até transportes e engenharia – optem por estas soluções; se sua empresa quer navegar na frente da concorrência, certamente deve considerar a migração para estes sistemas, de acordo com suas necessidades.

E para facilitar sua escolha, daremos aqui algumas informações sobre este processo, que tem essencialmente três caminhos possíveis: a instalação do zero em um sistema novo (indicado geralmente para situações em que a infraestrutura de TI não pode ser atualizada e, portanto, deve ser renovada), a migração em várias etapas com espelhamento do banco ou a migração em etapa única usando a ferramenta de DMO (Database Migration Option, sendo este o caminho recomendado pela própria SAP para a maioria dos casos). Em todos estes casos, por mais variados que sejam os processos, existem alguns pontos comuns importantes, que devem ocorrer para uma migração de sucesso. Entre eles, os principais são:

  • Atualização: o SAP HANA é o banco de dados que baseia o S/4 e é, por si só, uma ferramenta de enorme utilidade para todo tipo de negócio. Para que a migração ocorra de forma correta, é necessário que seu antigo banco seja atualizado para a versão mais recente para que os componentes do HANA possam ser instalados posteriormente. Naturalmente, este processo ocorre de forma muito mais simples quando o banco anterior já é SAP.
  • Backup: migrações de bancos de dados são sempre delicadas pois afetam uma área crítica para a maior parte das empresas; assim, em todos os casos o backup dos dados é uma parte integrante do processo, pois permite o restore do sistema em caso de alguma falha, evitando a perda de informações críticas que poderiam afetar os trabalhos da empresa.
  • Downtime: nos três possíveis cenários de migração o sistema passará por um ou mais momentos de indisponibilidade, o chamado downtime. No caso da migração com DMO, isso ocorre em apenas um momento, já na migração em várias etapas isto deve ocorrer duas ou mais vezes (o que pode gerar em um tempo total de indisponibilidade maior que a migração com DMO). Por este motivo é fundamental preparar todas as equipes para este momento, de modo que nenhum trabalho seja prejudicado por conta do downtime.

Para saber mais detalhes sobre o processo, entre em contato com a Vert para uma assessoria completa em todo o processo de migração para a plataforma HANA.

SAP S/4 HANA

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Conheça nossos parceiros