Artigo

A importância da tecnologia na solução de problemas de comunicação móvel

Não é novidade vermos a tecnologia como verdadeira aliada. Estamos sempre diante de um crescente número de soluções que despontam no mercado tecnológico para oferecer sempre maior cobertura e rapidez na transmissão de dados, minimizando falhas ou diminuindo a ocorrência de situações em que, mesmo estando com dispositivos de alta performance em mãos, não se consegue o contato por falta de sinal ou rede. Mas será que já estamos realmente conscientes delas? Confira a resposta a seguir:

A real importância

Garantir que a informação necessária para resolver um problema urgente chegue o mais rápido e corretamente possível ao receptor, ao tomador de decisões ou prestador de socorro, por exemplo, é de extrema importância para evitar danos maiores qualquer que seja a situação de ameaça. A tecnologia é importante para auxiliar casos em que a comunicação móvel é necessária e talvez o único meio de transmitir informações, além de ser crucial principalmente nos quais o nível de qualidade dos trabalhos executados, depende diretamente do quão eficiente ela é. Quanto mais rápido a informação chegar, mais rápido ela será revertida em soluções para situações de risco. Quando há problemas ou falhas neste processo, no entanto, leva-se mais tempo para tomar providências, podendo haver consequências sérias.

Diferenças decisivas

Trazendo isto para a realidade, podemos citar casos em que problemas na comunicação móvel representam não só risco de perda de dinheiro ou de oportunidades, mas também de coisas irrecuperáveis. A ineficiência de sinal ou redes de transmissões em áreas ou momentos críticos pode ser decisiva para o resultado de alguma tarefa. Um exemplo recente foi o acidente ocorrido com um ônibus em Santa Catarina, no mês de março de 2015, na região de Serra Dona Francisca, que tem pouca ou nenhuma conectividade pelos meios convencionais. Na ocasião, segundo o Diário Catarinense online, o trabalho dos bombeiros foi dificultado devido à falta de sinal nos rádios e celulares, atrasando a operação de resgate. Em situações assim, maior cobertura faria toda a diferença.

O papel da conectividade sem fronteiras

Os serviços de comunicação móvel têm evoluído cada vez mais justamente por entender este cenário em que nem sempre é sinônimo apenas de comodidade, mas sim de necessidade, segurança ou urgência. Aumentar o número de usuários dessa rede sem perder em rapidez e eficiência é sinônimo de excelência operacional e já é um objetivo muito mais alcançável que antes, devido à constante inovação no setor e na especialização destes serviços.

Sistemas integrados que trabalham em cima de conceitos como a chamada “conectividade pervasiva ubíqua”, trabalhando sob o viés do que poderíamos chamar de “noção de rede em todo local”, podem oferecer maior cobertura e velocidade na troca de informação por dispositivos móveis, o que representaria um enorme diferencial em todos os trabalhos que demandam comunicação móvel.

Se fossemos dar nossa própria interpretação, falaríamos em algo como onipresença de rede (designando uma conectividade invisível, altamente apurada, que faz jus aos termos “pervasiva” e “ubíqua” como alusão a um sistema sem limites, que não se vê, mas que sempre está lá disponível e acessível). Em situações de risco como as discutidas anteriormente, se acharia uma solução muito mais rapidamente com estas características.

E o que isto quer nos dizer?

Abrir oportunidades para o crescimento e aperfeiçoamento de modelos inovadores, como os de quarta geração (4G) – pautados na chamada LTE (que traduzido significa Evolução em Longo Prazo), no Brasil é algo capaz de transformar a forma como as conexões móveis operam por aqui. Isso porque o 4G, ao contrário das gerações anteriores, já é reconhecido por alcançar velocidades maiores de conexão (geralmente até 100 Mbps) mantendo-se estável, embora em muitos lugares ainda não seja tão comum.

A cobertura 4G, na verdade, se difere das demais principalmente no quesito de desempenho da rede de dados e de distribuição do sinal recebido por antenas que passam a fibra ótica (tecnologia que move este mercado). Este sinal é distribuído diretamente e de forma organizada, para não gerar fluxo intenso nem colapso na transmissão de dados, além de o 4G conseguir compactar a informação mais facilmente e trabalhar com um espectro de frequência diferenciado (o que se relaciona diretamente com o fator abrangência). Com isso, a velocidade também sobe, afinal, dados empacotados de forma melhor são transmitidos também de forma melhor e mais rápida.

Tanto o setor público quanto o privado pode se beneficiar desta forma de mobilidade com alta velocidade e em banda larga, que permite:

  • Maior segurança com boa infraestrutura de comunicação;
  • Tempo de resposta mais rápido;
  • Tomada de decisões ou ações de socorro mais ágeis;
  • Diminuição de riscos e perdas irreversíveis;
  • Redução de falhas nos contatos e na conexão de dados;
  • Comunicação mais veloz e de maior alcance.

Por fim, implantar soluções de última geração gradativamente em nossa realidade é garantir que alcancemos sempre a maior e mais eficiente escala em nosso serviço de comunicação móvel. Soluções de LTE, por exemplo, já têm capacidade maior de comportar mais usuários ao mesmo tempo sem perder em qualidade, o que facilita, inclusive, trabalhos em equipe e de emergência (situação em que muitas pessoas recorrerão à rede simultaneamente).

Conheça nossos parceiros