Artigo

4 mudanças que a internet das coisas promete trazer para as empresas

A verdade é que a designação “internet das coisas” inegavelmente tem passado a ganhar espaço nesta nossa era moderna, e já é possível ver seus efeitos progredindo cada vez mais na forma como interagimos com a tecnologia, ou melhor, na forma como os objetos interagem com o ambiente por meio dela. Portas que se abrem automaticamente, sensores de presença, de temperatura ou de luz, comandos por apps inteligentes, entre outras comodidades que antes eram difíceis de imaginar, já estão presentes no dia a dia da maioria das pessoas.

Então, se você é daqueles que procura estar sempre a par do que acontece no mundo da tecnologia, buscando antever cenários favoráveis a fim de munir sua companhia das melhores ferramentas para tirar o maior proveito possível, driblando as adversidades e se beneficiando das facilitações criadas, aproveite para conhecer agora quais áreas podem se enriquecer com esse adendo da tecnologia. Confira!

Maior preocupação com segurança da informação

A internet das coisas trouxe facilidades, mas ao mesmo tempo, esta série de funcionalidades previamente programadas para se estarem de acordo com aparelhos integrados a sistemas de internet, gerou também muita preocupação com a segurança da informação envolvida no processo. As empresas que antes já eram naturalmente preocupadas com a proteção de dados, agora enfrentam mais um desafio: garantir que as informações compartilhadas por meio da IoT fiquem seguras, que as máquinas desempenhem suas funções com estabilidade e controle, e também que somente procedimentos e pessoas devidamente autorizadas possam (ter progresso neste cenário inovador — ter acesso às coisas ou sensores da corporação).

Neste sentido, as empresas terão de encontrar (profissionais — empresas) confiáveis para cuidar da segurança e monitorar o desempenho da IoT para não deixar que nenhuma operação fuja do controle, garantindo, inclusive, que os aparelhos envolvidos interpretem sempre corretamente as configurações e que o conjunto de dados, que eles congreguem e entendam, produza sempre os efeitos esperados.

Formas diferentes de conduzir os fluxos de gestão

Quer seja na área financeira, comercial ou de RH, a gestão tende a sofrer mudanças significativas com a IoT: nesta realidade altamente plugada, funcionários também poderão integrar-se a tecnologias móveis inteligentes, sensores e outros dispositivos poderão avisar sobre a entrada, presença ou afastamento de um colaborador em substituição a pontos eletrônicos convencionais, bem como funções práticas da rotina de trabalho que poderão ser automatizadas a fim de poupar tempo e facilitar os serviços.

Sob uma perspectiva de gestão financeira, economia financeira poderá ser gerada a partir do melhor aproveitamento da tecnologia, reduzindo custos com desperdícios, permitindo que a empresa direcione melhor seus recursos para outras ações que demandem investimentos.

Novas maneiras de se relacionar com o mercado

Adaptar a empresa para a internet das coisas não significa somente alterações em seu ambiente interno. Pelo contrário: o cenário externo é o que mais promete impactos. E aceitar esta mudança fruto da popularização da internet das coisas, vinda também do público-alvo, é estritamente necessário para se manter competitivo. Clientes mudarão seus hábitos de consumo e formas de pagamento e aquisição de serviços por meio da interação online e com seus dispositivos móveis.

E as empresas deverão oferecer cada vez mais possibilidades para eles neste sentido, afinal, a mobilidade entra com força total não só dentro da própria companhia, mas também entre seus clientes. E se o seu ramo de atuação for também o de produtos de tecnologia, prepare-se para mais desafio: atualizar sua gama de produtos para atender a demanda e interesse dos usuários por sistemas integrados a internet das coisas será indispensável para enfrentar a concorrência e responder mais agilmente às tendências do mercado.

Maior investimento em tecnologia

Muito bem, se a internet das coisas se apresenta como uma realidade emergente nas empresas e que promete cada vez mais estar presente em sua rotina, nada mais claro que os investimentos em tecnologia tenderão a crescer para acompanhar este ritmo. E esta tecnologia recebe uma outra interpretação: o mercado de embarcados.

Neste ponto, estamos falando de maior preocupação por parte das empresas no sentido de, em um futuro próximo, incorporar dispositivos que tenham sistemas embarcados em si, como forma de operar a internet das coisas e permitir que ela se reverta em vantagens como dinamismo, por exemplo. Investimentos no domínio de novas linguagens e técnicas de programação e em formas eficientes de configurar, gerir e monitorar todo o sistema compatível com a IoT também tenderão a crescer.

Desta forma, a tecnologia incorporada deixará de ser uma realidade mais próxima somente de usuários individuais ou de projetos de automação residencial e passará a fazer parte do planejamento de operações de grandes companhias também.

Conheça nossos parceiros